Renault 19

desde 1989 lançamento

Reparo e operação do carro



Renault 19
+ Informação geral
+ Motores e o seu dispositivo
+ Supercarga do turbo
+ Sistema de um escapamento
+ Esfriamento de sistema
+ Sistema de provisão de poder
+ Sistema de injeção
+ União
- Passeio (transmissão) e transferência principal
   Transmissão
   Ajuste de deslocamento de engrenagem
   Eliminação de maus funcionamentos
   Remoção e instalação da transmissão
   Câmbio automático
   Controle eletrônico pelo câmbio automático
   Transferência principal
   Cabos de poder
   Cheque de selar punhos de manga de cabos de poder
   Eliminação de maus funcionamentos
+ Suporte de forma triangular de interrupção e direção
+ Sistema de freios
+ Rodas e pneumáticos
+ Eletricista e engenheiro eletrônico
+ Sistema de ignição
+ Iluminação
+ Dispositivos e dispositivos
+ Aquecer-se e ventilação
+ Elementos de um corpo e salão
Diagnóstica do motor
Especificações




Câmbio automático

O câmbio automático em uma seção

1 — uma linha planetária;
2 — um aperto de fricção;
3 — o aquecedor de óleo;
4 — o hidrotransformador;

5 — o passeio de tacômetro;
6 — rodas cônicas do mecanismo diferencial;
7 — a roda cônica conduzida.

 Já desde o começo da produção Renault 19, a modificação de GTS e TELEX (o motor de 1,7 l) podem munir-se do câmbio automático 3 organizado feito funcionar por meio da eletrônica (designação interna — MB3). Desde 1991, para a modificação 1,8 S a transmissão 4 organizada automática promovida que também se cria com base na transmissão MB3 que também se dirige pelo microprocessador se ofereceu. A designação desta transmissão 4 organizada automática desenvolvida em conjunto com Volkswagen é "AD4". Dá-se o programa duplo da comutação: na escolha do motorista e por meio do microprocessador.

O microprocessador constantemente apoia a pressão de óleo ao nível ótimo. A transmissão tem a fechadura mecânica do convertedor do torque na terceira e quarta transferência. O número de transferência da quarta transferência define-se como "Sobremarcha" (engrenagem de sobremarcha).

Princípio de operação da transmissão AD4 4 organizada automática

Em câmbios automáticos o motor instala na ação um asterisco de bomba no hidrotransformador. O líquido do convertedor dado à rotação chega abaixo da pressão por meio da roda de direção a uma roda de turbina que começa a mover-se. Entre um asterisco da bomba e uma roda de turbina lá é certa diferença na frequência de rotação. É excelente em dispersão e reduções com o aumento na velocidade. No câmbio automático ordinário há sempre assim chamado "deslizamento". Na transmissão AD4 automática em Renault 19 o hidrotransformador de torque na terceira e quarta transferência vai se transformar por meio de um peremykaniye mecânico do convertedor ao passeio dois juntado imóvel.

Assim, o deslizamento indesejável que resulta no consumo de combustível aumentado na redução do esforço transferido previne-se. Um elemento do câmbio automático é assim chamadas filas planetárias. Representam uma roda dentada que fornece a rotação de 3 outras rodas dentadas. Sobre este dispositivo a roda dentada com a engrenagem interna instala-se (epicycle). Cada um destes 2 grupos construtivos une-se um com outro e forma a própria pequena transmissão de duas velocidades. A modificação do número de transferência acontece por meio de fixação ou lançamento de partes de uma linha planetária. A comutação executa-se sem a interrupção da transferência do esforço de tração do motor a rodas. Fixar e lançamento fornece-se pelos apertos de fricção e freios feitos funcionar do modo hidráulico.